sexta-feira, 18 de novembro de 2016

O Estado existe para o homem e não o contrário

"O Estado não é a suprema encarnação da ideia,  como acreditava Hegel. O Estado não é uma espécie de super-homem coletivo. O Estado é apenas uma instituição autorizada a usar do poder e da coação,  e constituída por técnicos e especialistas em questões de ordem e bem estar público;  em suma, um instrumento a serviço do homem. Colocar o homem a serviço desse instrumento é uma perversão política. A pessoa humana como indivíduo existe para o corpo político,  mas o corpo político existe para a pessoa humana como pessoa. Mas o homem, de maneira alguma, existe para o Estado. O Estado é que existe para o homem".
JACQUES  MARITAIN, O Homem e o Estado.